Press "Enter" to skip to content

Tomada de Decisão – A competência do Século XXI

Wellinghton Camargo 0

Olá Empreendedor(a) Educacional,

Você já parou para pensar quantas decisões tomamos ao longo de um dia?

Se me perguntassem quais foram as melhores decisões que tomei no dia de hoje, ou o que me levou a toma-las, provavelmente eu teria que pensar nas decisões que tive de forma consciente, nas que tive de forma inconsciente, nas que tomei dentro da minha rotina de hábitos e as que por algum motivo optei por não tomar.

Como gestores, ao longo de nossa carreira tornamos a tomada de decisão como uma competência predominante em nossa dinâmica de atividades; a todo momento temos decisões a tomar, e por mais simples que elas sejam, sempre são gerados impactos; nosso maior desafio: gerar impactos assertivos, positivos, inspiradores!

Todos nós partimos do mesmo princípio para a construção de uma tomada de decisão, ao longo da nossa formação como indivíduo vivenciamos todos os tipos de experiências, a classificamos como experiências possíveis, nelas são consideradas tudo no qual vimos, sentimos, ouvimos, vivenciamos; a cada experiência vivenciada geramos um registro interno que é capitado e transformado em uma grande matriz que compõem o nosso filtro de experiência. Perceba ao passarmos por uma experiência, mesmo que idêntica a outra pessoa, temos a nossa forma de percepção, significação e conclusão; isso é possível através do nosso filtro interno de experiência;

Através deste registro, temos a nossa seleção interna de experiência, registramos o momento, o armazenamos em nosso sistema interno, e a cada vez que vivenciamos algo na qual o princípio é similar ou idêntico a algo já vivenciado, baseamos a tomada de decisão sobre essa seleção, a acionamos a nosso favor e partimos deste princípio para agir. Atrelados a essa seleção, embutimos a nossa interpretação, emoções e crenças para completar a nossa elaboração interna. Tudo isso ocorre em frações de segundos para termos uma tomada de decisão.

FILTRO INTERNO DE EXPERIÊNCIA

Nossas tomadas de decisões derivam desta construção, quando olhamos para como elaboramos algo, nossa percepção é reformulada. Nossa habilidade de tomar decisões é constituída através das nossas experiências, cabe a nós o aprimoramento, desenvolvimento e evolução pessoal para que cada vez mais nossas decisões sejam assertivas.
Não temos uma receita pronta para sempre tomarmos as melhores decisões, muitas vezes não temos todas as respostas, mas cabe a nós fazermos as melhores perguntas. Cabe a nós entendermos o nosso papel no sistema ao qual pertencemos, contribuirmos para que a ecologia sistêmica seja funcional e nossa contribuição seja desempenhada da forma que nos cabe; Você sabe qual o seu papel no sistema no qual pertence? Você já parou para pensar sobre isso? Entendermos a nossa contribuição ao sistema é o principio da nossa existência, da missão que nos cabe.

Por muito tempo ouvi de muitos colegas de trabalho “tudo o que você se propõe a fazer da certo” e me questionava como isso era possível? Para mim essa afirmativa não fazia sentido, pois o “dar certo” era uma consequência de toda a ação que era gerada como resultado, a ação que eu gerava era pelo fato de entender o papel a ser desempenhado, comecei a olhar para o meu processo interno de ação e percebi que para todos os projetos eu partia do mesmo princípio; antes de qualquer ação, antes da decisão aplicada, com base nas minhas experiências eu desenhava um planejamento estratégico de ação, uma linha do tempo real, aplicava todas as variáveis possíveis a cerca de uma decisão, após essa visibilidade, eu estava preparada para agir, e o resultado era uma consequência de toda a projeção feita.

Se você quer ter as melhores tomadas de decisões ao longo de sua carreira, precisa se preparar diariamente para elas, a cada dia nosso mindset deve ser estimulado e direcionado ao crescimento. Tomar como verdade a crença de que “não mudamos”, ou que “não somos capazes a algo” são falsas verdades, temos o poder da aprendizagem que faz parte de nós, temos conosco a oportunidade de exercitar competência para transforma-las em habilidades.
Somos os responsáveis pelas nossas escolhas, grandes gestores são inspiradores, donos da habilidade de despertar e desenvolver o melhor que há em seus colaboradores, através de atitudes, decisões e exemplos. Que a cada decisão tomada tenhamos a certeza de que ela esta contribuindo para um bem maior!

Tenha uma semana incrível!

Sucesso,

Marcele Pereira
Professional Coach e Sócia-proprietária na empresa Sete Quality Standard
Formada em Marketing, Gestão Comercial e Estratégia de Negócios
Pós-graduada em Psicanálise, com especialização em Neurolinguística

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *